BlogBlogs.Com.Br

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

CASAR OU NÃO CASAR, EIS A QUESTÃO!

O SEGREDO DO CASAMENTO
*Revista Veja 14/09/05 -

Ponto de Vista
Autor: Stephen Kanitz


"Meus amigos separados não cansam de me perguntar como eu consegui ficar casado trinta anos com a mesma mulher. As mulheres, sempre mais maldosasque os homens, não perguntam a minha esposa como ela consegue ficar casada com o mesmo homem, mas como ela consegue ficar casada comigo.Os jovens é que fazem as perguntas certas, ou seja, querem conhecer o segredo para manter um casamento por tanto tempo.Ninguém ensina isso nas escolas, pelo contrário. Não sou um especialista do ramo, como todos sabem, mas, dito isso, minha resposta é mais ou menos a que segue. Hoje em dia o divórcio é inevitável, não dá para escapar. Ninguém agüenta conviver com a mesma pessoa por uma eternidade. Eu, na realidade, já estou em meu terceiro casamento - a única diferença é que me casei três vezes com a mesma mulher. Minha esposa, se não me engano, está em seu quinto, porque ela pensou em pegar as malas mais vezes do que eu. O segredo do casamento não é a harmonia eterna. Depois dos inevitáveis arranca-rabos, a solução é ponderar, se acalmar e partir de novo com a mesma mulher. O segredo, no fundo, é renovar o casamento, e não procurar um casamento novo. Isso exige alguns cuidados e preocupações que são esquecidos no dia-a-dia do casal. De tempos em tempos, é preciso renovar a relação. De tempos em tempos, é preciso voltar a namorar, voltar a cortejar, voltar a se vender, seduzir e ser seduzido.
Há quanto tempo vocês não saem para dançar? Há quanto tempo você não tenta conquistá-la ou conquistá-lo como se seu par fosse um pretendente em potencial? Há quanto tempo não fazem uma lua-de-mel, sem os filhos eternamente brigando para ter sua irrestrita atenção? Sem falar dos inúmeros quilos que se acrescentam a você depois do casamento. Mulher e marido que se separam perdem 10 quilos num único mês, por que vocês não podem conseguir o mesmo? Faça de conta que você está de caso novo. Se fosse um casamento novo, você certamente passaria a freqüentar lugares desconhecidos, mudaria de casa ou apartamento, trocaria seu guarda-roupa, os discos, o corte de cabelo e a maquiagem. Mas tudo isso pode ser feito sem que você se separe de seu cônjuge.Vamos ser honestos: ninguém agüenta a mesma mulher ou marido por trinta anos com a mesma roupa, o mesmo batom, com os mesmos amigos, com as mesmas piadas. Muitas vezes não é sua esposa que está ficando chata e mofada, são os amigos dela (e talvez ou seus), são seus próprios móveis com a mesma desbotada decoração. Se você se divorciasse, certamente trocaria tudo, que é justamente um dos prazeres da separação. Quem se separa se encanta com a nova vida, a nova casa, um novo bairro um novo círculo de amigos. Não é preciso um divórcio litigioso para ter tudo isso. Basta mudar de lugares e interesses e não se deixar acomodar. Isso obviamente custa caro, e muitas uniões se esfacelam porque o casal se recusa a pagar esses pequenos custos necessários para renovar um casamento. Mas, se você se separar, sua nova esposa vai querer novos filhos, novos móveis, novas roupas, e você ainda terá a pensão dos filhos da união anterior. Não existe essa tal "estabilidade do casamento", nem ela deveria ser almejada. O mundo muda, e você também, seu marido, sua esposa, seu bairro e seus amigos. A melhor estratégia para salvar um casamento não é manter uma "relação estável", mas saber mudar junto. Todo cônjuge precisa evoluir, estudar, aprimorar-se, interessar-se por coisas que jamais teria pensado fazer no início do casamento. Você faz isso constantemente no trabalho, por que não fazer na própria família? É o que seus filhos fazem desde que vieram ao mundo.
Portanto, descubra o novo homem ou a nova mulher que vive a seu lado, em vez de sair por aí tentando descobrir um novo e interessante par. Tenho certeza de que seus filhos os respeitarão pela decisão de se manterem juntos e aprenderão a importante lição de como crescer e evoluir unidos apesar das desavenças. Brigas e arranca-rabos sempre ocorrerão; por isso, de vez em quando é necessário casar-se de novo, mas tente fazê-lo sempre com o mesmo par."
______________________________________________________________
ACHEI MUITO LEGAL ESSE TEXTO E NA MINHA OPINIÃO, NÃO É SÓ NO CASAMENTO QUE AS PESSOAS TÊM INVESTIDO POUCO, ELAS TÊM INVESTIDO POUCO EM TUDO NESTA VIDA . NAS AMIZADES, NOS NEGÓCIOS, NA FAMÍLIA, NA SOCIEDADE. NÃO DEU CERTO? SIMPLESMENTE PULA FORA E A VIDA ANDA. MAS COMO SABER SE REALMENTE ALGO NÃO DÁ CERTO SE NO PRIMEIRO OBSTÁCULO JÁ FAZEMOS MEIA VOLTA E TIRAMOS O TIME DE CAMPO? É HORA DE PERSISTIR MAIS EM TUDO, SER MAIS TOLERANTE E SABER QUE SE TÁ RUIM, MUITAS VEZES, PARTINDO SIMPLESMENTE PRA OUTRA COISA, PODE PIORAR. SE VC JÁ CONHECE, APRENDEU OS DEFEITOS E QUALIDADES, PRA QUE RECOMEÇAR TUDO ISSO, ENGATINHAR, BABAR E USAR FRALDA COM OUTRA PESSOA? O IMPORTANTE, COMO DISSE KANITZ É RECOMEÇAR SIM, MAS COM A MESMA PESSOA...

sábado, 23 de fevereiro de 2008

OS 3 ÚLTIMOS DESEJOS DE ALEXANDRE O GRANDE

Gostei tanto, que gostaria de dividí-los com vocês.

Eis o resumo:

Quando à beira da morte, Alexandre convoca seus Generais e seu escriba e relata a estes seus 3 últimos desejos:

1 - que seu caixão seja transportado pelas mãos dos mais reputados Médicos da época;

2 - que seja espalhado no caminho até seu túmulo, seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas...);

3 - que suas duas mãos sejam deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus Generais, admirado com esses desejos insólitos, pergunta a Alexandre a razão destes. Alexandre explica então:

1 - Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão, para mostrar aos presentes que médicos NÃO têm poder de cura nenhum perante a morte;

2 - Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros p/que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;

3 - Quero que minhas mãos balancem ao vento, para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos, de mãos vazias partimos.
____________________________________________
Tinha colocado esse texto nos meus rascunhos aqui e ainda não tinha postado...não sei pq motivo, mas tudo nessa vida tem um, não é?
Então, hoje aconteceu um episódio comigo no serviço que fechou com chave de outro o significado desse texto.
Antes, deixe-me explicar sobre meu emprego.
Como quem me conhece sabe, sou professora. Este ano, fui abençoada com um novo emprego. Fui contratada por uma das melhores (senão a melhor) escola particular da cidade para trabalhar num projeto filantrópico, com crianças de uma escola da periferia, que no horário alternativo de aula vão para o projeto ter aulas, fazer tarefas e ser felizes acima de tudo. Várias das crianças que participam deste projeto são carentes, umas nem mesmo o shopping da cidade conhece.
Então, hoje uma aluna minha me falou assim toda contente:
-Tia, ontem foi meu aniversário, fiz 8 anos.
Então, eu, pra continuar a conversa com ela disse:
-Nossa! Que legal! Teve bolo?
E ela falou pra mim, ainda sim feliz:
-Não tia, meu pai me deu R$5 pra eu comprar um guaraná e um pedaço de bolo na padaria perto de casa.
Bom, aí chego em casa, pensando muito em como muitas vezes somos materialistas e não damos valor ao que temos. Resolvo postar no blog e lembro-me do texto de Alexandre, O Grande, ainda impublicado por mim e qdo o releio, para minha surpresa, ele vêm pra fechar esta passagem do meu dia.
Chorei bastante...nestas horas a gente se sente exatamente: NADA, né?
O que me consola é poder ter acesso aos alertas da vida e ter a capacidade de repensar meus atos, embora não seja uma pessoa materialista, mas tb não sou uma pessoa desprendida do mundo capitalista.
É isso...tomara que alguém mais seja tocado com esta reflexão!

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

MEME

Recebi este MEME de um gato lindo e abandonado...um migão querido que vive prestigiando meu blog e que é uma das razões pra eu atualizar sempre esse blog. Estou falando dono do Blog BUTIQUE DA SEVERINA . Obrigada pela indicação ao MEME e vamos ás minhas respostinhas...

MEME: PERGUNTAS, AFIRMAÇÕES E CONFIRMAÇÕES
Responda, da maneira que lher convir, as estas perguntas:
1 - Que cheiro tem seu corpo?
2 - Que sonhos alimentam seu coração?
3 - Porque a vida muda de uma hora pra outra?
4 - Porque pessoas vêm e vão?
5 - Porque complicado vem antes do simples?

Deve ser enviado a cinco blogueiros e estes sucessivamente.

1 - Que cheiro tem seu corpo?
Meu corpo te cheiro de flor e cheiro de pecado...cheiro de menina e cheiro de mulher...ás vezes doce e outras amargo, dependendo da situação...tem cheiro de esperança e cheiro de felicidade, tem cheiro de dia e cheiro de noite...é um misto de tudo um pouco vindo de uma vez e só poucas pessoas são capazes de sentir tantos cheiros em tão pouco tempo e poder apreciar e deleitar-se com eles.
2 - Que sonhos alimentam seu coração?
Meu coração alimenta-se de sonhos comuns de felicidade constante. Sonhos de um mundo melhor, um paraíso, onde as pessoas possam ser iguais, não fisicamente mas espiritualmente, vivendo em harmonia e respeitando as diferenças...utopias sim, mas é sempre bom sonhar e enquanto puder, sonharei com essa igualdade social.

3 - Porque a vida muda de uma hora pra outra?
Muda de uma hora pra outra pq viver é nada mais que uma inconstância de sentidos e experiências, uma montanha russa de emoções onde a cada curva e cada descida, encontramos novas emoções, sejam elas prazerosas ou não. Muda pq tem que mudar, muda pra fazer com que aprendamos e com que não nos acostumemos sempre com a água parada...as ondas vem e vão pra mostrar que não podemos nos acomodar, um dia vem um Tsunami e leva tudo.

4 - Porque pessoas vêm e vão?
Acredito que seja pelo fato de cada pessoa ser uma peça do nosso grande quebra-cabeças chamado vida. As pessoas vêem, passam por nossas vidas, dão-nos uma nova peça e qdo essa peça se encaixa, é hora de partir. Cada pessoa tem sua missão junto às outras e qdo essa missão já foi cumprida é hora de partir. Difícil é aceitar que alguém que amamos saia de nossas vidas, mas pra tudo existe razão e esta razão não cabe a nós, simples mortais.
5 - Porque complicado vem antes do simples?
O complicado vem antes do simples pq todo esforço tem uma compensação. É como comer bolacha recheada. A maioria das pessoas q conheço come primeiro a casca e depois o recheio. O melhor sempre fica pro final. Mas tudo depende do ponto de vista de cada um, pq às vezes o que é complicado pra mim não é complicado para outro. Cada um tem sua cruz. Qdo eu freqüentava o grupo de jovens na igreja católica, uma vez ouvi uma história linda q guardei. É mais ou menos assim: uma pessoa foi reclamar com Deus q a cruz dela era pesada d+ para se carregar e Deus então cortou um pedaço da cruz dessa pessoa. Mas um dia, a pessoa chegou à beira de um precipício e precisava passar para o outro lado. Todas as pessoas ao seu redor usaram suas cruzes para atravessar, elas tinham o tamanho certo para cruzar de um lado para o outro. Mas aquela que pediu a Deus q cortasse um pedaço, não pode atravessar pq faltou justamente aquele pedaço cortado pra ir ao outro lado. Então, gente, é mais ou menos isso, se tua cruz é pesada d+, ás vezes é pq é preciso que seja, tudo tem um motivo e por isso tb que muitas vezes nós que complicamos o simples.
AGORA OS MEUS INDICADOS PARA RESPONDER O MEME:

sábado, 16 de fevereiro de 2008

A EVOLUÇÃO DO ENSINO DA MATEMÁTICA NO BRASIL*


Uma pessoa foi a uma loja e comprou um produto que custou R$ 1,58. Dei à balconista R$ 2,00 e pegou na bolsa 8 centavos, para evitar receber ainda mais moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer. O cliente tentou explicar que ela tinha que me dar 50 centavos de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la. Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender. Por que a pessoa mandou esse e-mail contando isso? Porque se deu conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi assim:

*1. Ensino de matemática em 1950:*
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda. Qual é o lucro?

*2. Ensino de matemática em 1970:*
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o lucro?

*3. Ensino de matemática em 1980:*
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. Qual é o lucro?

*4. Ensino de matemática em 1990:*
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

*5. Ensino de matemática em 2000:*
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. O lucro é de R$ 20,00. Está certo?
( )SIM ( ) NÃO

*6. Ensino de matemática em 2007:*
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$100,00 O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00
_________________________________________________________

Não retrata bem a realidade de hoje??? Infelizmente há um certo "relaxo" no ensino e também uma preguiça mental por conta dos estudantes. Muita coisa mudou e não pra melhor, pra pior.
Hoje vc não repete mais o ano na escola, existe progressão continuada, existem milhões de recuperações e vão fazendo de tudo até que o aluno passe, não importa que ele vire uma "ameba" ambulante.
Sei que como professora, não devia expôr este tipo de comentário que desfavorece a classe, mas é a mais pura realidade. Sempre trabalhei com educação infantil, que na minha visão é a base de tudo, mas se um dia passar para o Ensino Fundamental, vou ter um confronto de idéias com a escola ao ter que passar um aluno que simplesmente não sabe nada, só para ele não ficar atrasado em relação à crianças de sua idade.
Mas o pior de tudo é saber que parte deste "benefício" de quase não se reprovar alunos, é uma idéia vinda de um governo (não deste, de todos, afinal isso favorece a política) que busca cidadãos "analfabetos-letrados" ou mesmo os analfabetos funcionais, que lêem e não sabem interpretar o que estão lendo, pois é mais fácil ter eleitores que se corrompam com palavras bonitas, dentaturas, cestas-básicas e outros brindes eleitorais do que convencer cidadãos pensantes e ativos nas idéias, formadores de opinião.
Então, que venham gerações cada vez mais ignorantes, isso faz bem para a política!

sábado, 9 de fevereiro de 2008

CANTIGAS DO FOLCLORE BRASILEIRO!

Um brasileiro morando nos Estados Unidos da América, para ajudar no orçamento, foi fazer'bico' de babá. Ao cuidar de uma das meninas uma vez cantou 'Boi da cara preta' para ela,antes dela dormir. Ela adorou e essa passou a ser a música que ela sempre pedia para ele cantar ao colocá-la para dormir. Antes de ser adotado o 'boi, boi, boi' como canção de ninar, a canção que cantavam (em Inglês) dizia algo como:
Boa noite, linda menina, durma bem.
Sonhos doces venham para você,
Sonhos doces por toda a noite.'
(Que lindo, né mesmo!?)
Eis que um dia Mary Helen pergunta o que as palavras, da música 'Boi da cara preta' queriam dizer em Inglês.
Boi, boi, boi, boi da cara preta,
pega essa menina que tem medo de Careta...(???)
Como ele ia explicar para ela e dizer que, na verdade, a música 'boi da cara preta' era uma ameaça, era algo como 'dorme logo, caralho, senão o boi vem te comer'? Como explicar que ele estava tentando fazer com que ela dormisse com uma música que incita um bovino de cor negra a pegar uma cândida menina?
Claro que ele mentiu para ela, mas começou a pensar em outras canções Infantis, pois não se sentia bem ameaçando aquela menina com um temível boi toda noite... Que tal! 'nana neném que a cuca vai pegar...'? Caramba!... Outra ameaça!Agora com um ser ainda mais maligno que um boi preto!Depois de uma frustrante busca por uma canção infantil do folclore Brasileiro que fosse positiva se deparou com a seguinte situação: O brasileiro tem é trauma de infância!!!! Trauma causado pelas canções infantis!!!!
Eis a tese que explica isso:
Atirei o pau no gato-to-to
Mas o gato-to-to não morreu-reu-reu
Dona Chica-Ca-Ca admirou-se-se.
Do berrô, do berrô que o gato deu Miaaau!
Para começar, esse clássico do cancioneiro infantil é uma demonstração clara de falta de respeito aos animais (pobre gato) e incitação à violência e a crueldade. Por que atirar o pau no gato, essa criatura tão indefesa? E para acentuar a gravidade, ainda relata o sadismo dessa mulher sob a alcunha de ' D.Chica'.Uma vergonha!
Eu sou pobre, pobre, pobre,
De marré, marré, marré.
Eu sou pobre, pobre, pobre,
De marré de si.Eu sou rica, rica, rica,
De marré, marré, marré.
Eu sou rica, rica, rica,
De marré de si.
Colocar a realidade tão vergonhosa da desigualdade social em versos tão doces!! É impossível não lembrar do amiguinho rico da infância com um carrinho fabuloso, de controle remoto, e você brincando com seu carrinho de plástico... Fala sério!!!
Vem cá, Bitu!
Vem cá, Bitu!
Vem cá, meu bem, vem cá!
Não vou lá!
Não vou lá, Não vou lá!
Tenho medo de apanhar.
Quem foi o adulto sádico que criou essa rima? No mínimo ele espancava o pobre Bitú.....
Marcha soldado, cabeça de papel!
Quem não marchar direito,
Vai preso pro quartel.
De novo, ameaça! Ou obedece ou você vai se fu... Não é à toa que o brasileiro admite tudo de cabeça baixa...
A canoa virou, quem deixou ela virar,
Foi por causa da (nome de pessoa) que não soube remar.
Ao invés de incentivar o trabalho de equipe e o apoio mútuo, as crianças brasileiras são ensinadas a dedurar e a condenar um semelhante. Bate nele, mãe!
Samba-lelê tá doente,
Tá com a cabeça quebrada.
Samba-lelê precisava
É de umas boas palmadas.
A pessoa, conhecida como Samba-lelê, encontra-se com a saúde debilitada e necessita de cuidados médicos. Mas, ao invés de compaixão e apoio,a música diz que ela precisa de palmadas! Acho que o Samba-lelê deve ser irmão do Bitú!!!...
O anel que tu me deste
Era vidro e se quebrou.
O amor que tu me tinhas
Era pouco e se acabou...
Como crescer e acreditar no amor e no casamento depois de ouvir essa passagem anos a fio???
O cravo brigou com a rosa
Debaixo de uma sacada;
O cravo saiu ferido
E a rosa despedaçada.
O cravo ficou doente,
A rosa foi visitar;
O cravo teve um desmaio,
A rosa pôs-se a chorar.
Desgraça, desgraça, desgraça!
E ainda incita a violência conjugal (releia a primeira estrofe).Precisamos lutar contra essas lembranças, meus amigos! As crianças merecem um futuro melhor!